Pt En Es
Confiança do empresário aumenta 1% em agosto, diz CNC

Confiança do empresário aumenta 1% em agosto, diz CNC

23/08/2016




O comerciantes estão mais otimistas pelo quarto mês consecutivo. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) subiu 1,0% na passagem de julho para agosto e atingiu 90 pontos em uma escala de 0 a 200, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação com agosto do ano anterior, o Icec registrou alta de 9,4%, a segunda taxa positiva nesse tipo de comparação desde julho de 2013. Apesar dos avanços, o índice permanece abaixo do chamado "nível de indiferença" (marcado pelos 100 pontos).

"A atividade do comércio ainda não mostra perspectiva de recuperação no curto prazo, embora haja diminuição no ritmo de queda das vendas. As condições do mercado de trabalho, com desemprego e elevado comprometimento da renda dos consumidores, seguem influenciando negativamente o consumo. Entretanto, a confiança dos varejistas tem evoluído positivamente", explica Izis Ferreira, economista da CNC, em nota oficial.

Segundo a entidade, o aumento foi puxado, principalmente, pela elevação dos subíndices que medem a avaliação das condições correntes (ICAEC) e as intenções de investimento (IIEC). 

Na comparação com julho, as intenções de investimentos aumentaram 1,8%. Em relação a agosto de 2015, o IIEC registrou aumento de 0,5%.

Já o ICAEC teve alta de 8,3% em agosto ante julho, enquanto que o aumento na comparação com agosto do ano passado foi de 9,4%.

O subíndice de expectativas (IEEC), entretanto, apresentou queda de 1,3% na passagem de julho para agosto, após um aumento mais expressivo no mês anterior. Em relação a agosto de 2015, houve avanço de 15,4%.

As estimativas da CNC para o volume de vendas do comércio em 2016 foram revisadas, de -5,6% para -5,4% no conceito restrito e de -10,6% para -9,8% no conceito ampliado.

Leia também

  • Você quer aprender empreendedorismo com o Vale do Silício?

    Na visão de Peter Thiel, empreendedores precisam se concentrar em criar monopólios (leia este artigo e entenda a “heresia”). Para isso, devem começar resolvendo problemas de um nicho bem pequeno e de

    + leia mais
  • Três formas de atrair e reter talentos na era da disrupção.

    Empresas podem se adaptar às mudanças no capital humano, abraçando a flexibilidade, incentivando o intraempreendedorismo e promovendo um senso de propósito.

    + leia mais
  • 6 lições inspiradoras de Jorge Paulo Lemann.

    Se você pudesse fazer uma pergunta ao maior empreendedor do Brasil, qual seria? Confira os conselhos que Jorge Paulo Lemann deu a um grupo de empreendedores apoiados pela Endeavor.

    + leia mais

“Nossa história começa com o sonho, de que num futuro não distante todas as pessoas que atuam em qualquer empresa sejam altamente qualificadas. Que hábitos como atender bem, importar se com o cliente, conceder atenção ao cliente, ter organização e planejamento, enfim entre diversos conhecimentos, habilidades e atitudes inerentes ao ser humano profissional, transformem se em cultura.”


Ronaldo Vieira